O que há no fundo do meu poço.


Vez por outra me encontro no fundo do poço e isso não é tão raro quanto eu gostaria que fosse. Na verdade acabei de sair de lá.

Creio que minhas visitas à esse lugar escuro e sombrio começaram bem cedo na vida. Consigo me lembrar com clareza de momentos em que me encontrei sentadinha lá no fundo, ainda quando na adolescência (apesar disso ter se passado há bem mais de 15 anos). Depois daí, esse lugarzinho desagradável tem sido visitado por mim com uma certa frequência.

O meu fundo do poço é aquele sentimento de desânimo total que quase beira a desesperança com qualquer coisa deste mundo. Aquele sentimento de tristeza, de desilusão, que todo mundo já passou ou vai passar um dia.

Não sei bem por qual razão isso me acontece, mas acontece e não é tão raro assim.
Talvez algum desequilíbrio hormonal, cansaço, falta de momento intencional de intimidade com Deus. Alguém poderia dizer que sofro de algum problema psicológico, algum trauma de infância pela perda que sofri ou, como bem diria meu pai, tudo isso seja só 'falta de peia' mesmo.

Não sei ao certo, mas sei que geralmente acontece quando olho demais pra baixo, quando olho demais para as coisas que estão ao meu redor. A maioria das vezes acontece quando dou atenção demasiada às circunstâncias: quando olho demais para mim mesma, quando olho demais para as minhas limitações, quando paro para reparar nas imperfeições que existem na vida que construí, quando começo a comparar a minha vida com a de mais alguém, quando relembro todos os planos frustrados, todos os projetos que não sairam como eu planejei. É como no episódio de Pedro andando sobre as águas... quando olho demais para baixo, sinto que começo a afundar.

Mas o que, na verdade, gostaria de compartilhar nem é tanto o motivo ou o que me leva ao fundo do poço. O mais interessante é o que eu sempre encontro quando chego lá.

Consigo lembrar claramente das primeiras vezes que o achei. Lembro de estar em meu quarto, ainda na casa paterna, nem 16 anos, sentindo aquele aperto sufocante no peito. A única coisa que conseguia fazer era correr para desabafar com o meu Senhor enquanto registrava cada pedido de socorro e cada soluço de tristeza no meu caderno de orações - ainda guardo dezenas deles. Foi alí que encontrei a presença mais palpável e mais íntima com o meu Deus. Ele estava alí, bem perto, aparentemente mais perto do que nunca.
Anos depois e nos momentos mais escuros, Deus continuava se mostrando claramente presente, confortando o meu coração.

Dessa vez não foi diferente. Passei dias com o coração angustiado, triste e desanimada com as coisas da vida. Mais uma vez no fundo do poço, não encontrava forças e nem sabia como sair de lá. Sabendo quem estava comigo, só pude pedir ajuda e esperar para ver como Ele novamente me tiraria dalí - e Ele o fez. Mais uma vez, de forma surpreendente, transformou meu momento de desânimo e de tristeza em expectativas e planos para o futuro.

Deus sempre está comigo, não há dúvidas! Mas quando estou no fundo do poço, quando aparentemente não vejo esperança e nem mais ninguém, Deus mostra claramente que Ele é o único que está está sempre 100% comigo. Alguns dizem que no fundo do poço há uma mola. Eu diria que no fundo do meu poço há um amigo amoroso, um abraço apertado, um pai cuidadoso, um braço forte que me ergue outra vez, uma mão gentil que carinhosamente levanta o meu queixo e me faz olhar pra cima.

E sabe do que mais, depois que saio do fundo do poço, sinto-me feliz por ter estado lá. Porque quando estou fraca, não tendo como me virar sozinha, aprendo mais uma vez que preciso correr para Cristo e depender inteiramente Daquele que é a minha força.

"Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte." 2 Coríntios 12:10

"Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura, também lá estás.
mesmo ali a tua mão direita me guiará e me susterá." Salmos 139:8, 10


Abraço carinhoso,
Renata.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Me sinto exatamente assim. É maravilhoso saber que nosso Pai está sempre conosco, principalmente em nossas fraquezas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Priscilla! Temos um Deus maravilhoso, socorro bem presente nas nossas tribulações. Abraço!

      Excluir

Popular Posts