Sensualidade, o tal poder feminino - Reflexão em Eclesiastes 7:26



“que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra”
I Tessalonissenses 4:4


“Sempre que uma pessoa usa meios antibíblicos para tentar alcançar seus objetivos, ela está pecando”
Martha Peace


Muito se fala de um poder que é próprio da mulher – o poder da sensualidade. O poder de convencer as pessoas com um sorriso ou um olhar, poder de colocar os outros (especialmente os homens) na palma de suas mãos, o poder de conseguir o que quer através da sensualidade. As que dizem que o tem se gabam dele e esbanjam o seu uso. Muitas que acreditam não tê-lo correm desesperadas a fim de desenvolvê-lo e conquistá-lo a qualquer preço.

Mas afinal, que tipo de poder é esse? O que a Bíblia fala sobre ele? Devo buscá-lo? Mas o que é sensualidade? Se recorrermos ao dicionário veremos de forma clara e simples que sensualidade é um termo relativo à sexualidade, erotismo. É o poder de atração para si através do apelo sensual ou sexual. Em outras palavras, é a capacidade de atrair o desejo sexual de outro para si.

A sensualidade e a Manipulação.

Lendo Eclesiastes 7:26 me deparei com uma advertência aos homens contra esse tal poder feminino.: “Achei coisa mais amarga do que a morte: a mulher cujo coração são redes e laços e cujas mãos são grilhões; quem for bom diante de Deus fugirá dela, mas o pecador virá a ser seu prisioneiro.” Salomão compara o poder de sedução da mulher como algo mais amargo que a própria morte, capaz de prender um homem e escravizá-lo.

A mulher que se utiliza da sua beleza, sensualidade e sexualidade para conseguir o que quer é chamada de manipuladora. Manipular nada mais é que influenciar inadequadamente alguém a fim de conseguir algo. A sensualidade usada como poder é manipulação. É usar seus atributos sexuais a fim de atuar no desejo sexual do outro com o intuito de conseguir algo em troca: seja atenção, prazer, favor ou mesmo algo material.

Martha Peace descreve manipulação pecaminosa como “usar palavras e/ou semblantes para intimidar ou persuadir uma pessoa a deixar você fazer o que quer”. A sensualidade como poder visa despertar desejo sexual do outro como meio para atingir um alvo. O fato é que muitas mulheres usam sua sensualidade como sua mais importante ferramenta de poder. Muitas adornam com sensualidade suas roupas, maquiagens, cabelos, andar, falar, comportamento e atitude com a finalidade de influenciar, convencer e chamar a atenção através do desejo sexual (conscientemente ou não).

Até mesmo no casamento a sensualidade pode ser usada de forma pecaminosa, manipuladora, como ferramenta de poder. Usar a sua sensualidade para convencer seu marido a fazer algo que ele não quer ou usar o sexo como moeda de troca ou ferramenta de tortura é completamente condenado pelas Escrituras. (Isso é assunto para um outro momento)

E o que a Bíblia fala sobre sensualidade utilizada como ferramenta de poder?

A Bíblia utiliza o termo lascívia para se referir à sensualidade pecaminosa, ao erotismo. A lascívia é incluída na descrição das obras da carne em Gálatas 5:19: “Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia”.

Ela também é citada em Colossenses 3:5 como fazendo parte de da natureza humana terrena: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria.”

A Bíblia também nos diz categoricamente que agir de forma a atrair para si o olhar ou desejo sexual de um homem que não seja seu marido é atrair para si e para o outro pecado e juízo: “Eu, porém, vos digo, que qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, em seu coração, já cometeu adultério com ela.” Mateus 5:28

Usar a sensualidade através de roupas, atitudes ou comportamento fora do casamento, seja para conseguir favor, atenção ou preferência, influenciar ou convencer é inadequado e fora de propósito. É impuro, é desonrar o seu corpo, é ofender e defraudar o próximo. É pecaminoso, é carnal, e pode chegar a ser considerado prostituição.

Podemos relembrar rapidamente alguns exemplos na Bíblia de mulheres que abusaram do seu poder da sensualidade. Dentre elas temos a mulher de faraó (Gênesis), Dalila (Juízes) a moça da janela (Provérbios). Em todos os casos o apelo sexual feminino foi usado a fim de convencer homens a fazerem o que era desejado. Em todos esses casos, explicitamente, a finalidade era imprópria e o fim não foi nada bom.

Trocando em miúdos, o poder da sensualidade tão valorizado e buscado até mesmo por mulheres cristãs nada mais é que um uso errado (entenda-se pecaminoso) da sexualidade projetada por Deus a fim de manipular e influenciar de maneira inadequada outras pessoas (entenda-se homens) a fim de conseguir algum tipo de favor. E o fim pode não ser nada bom...

O lugar Bíblico da sensualidade

Foi o próprio Deus que nos criou seres sexuais. Ele criou a nós, mulheres, com características, belezas e encantos para um propósito bem determinado. Há hora, lugar e forma certa de usarmos a nossa sensualidade, e esse lugar é o casamento. O propósito é o deleite mútuo e a glória de Deus.

A mulher deve cuidar de seu corpo, de sua aparência, de suas roupas a fim de agradar e deleitar seu marido. Essa preocupação feminina em si não é pecado, desde que esteja no contexto do casamento e que não seja utilizado como forma de manipulação. O sexo e a nossa sensualidade foram criados por Deus, mas devem estar restritos às ‘quatro paredes’ do casamento.

Um caminho melhor

Se uma mulher deseja desenvolver o poder de conquistar, influenciar ou atrair existe um caminho muito melhor. Devemos ‘lutar’ com as armas certas. Em lugar de procurar as armas femininas relacionadas ao apelo sensual/sexual devemos buscar armas espirituais a fim de atrair e influenciar positivamente as pessoas ao nosso redor. Temor a Deus, espírito manso e humilde, sabedoria, decência e modéstia são todas as armas das quais as mulheres precisam. O nosso sábio conselho e nossas orações intercessórias é que devem influenciar as pessoas. O brilho de Cristo em nossas vidas é o que deve fazer os homens olharem em nossa direção.

A mulher que teme ao Senhor não precisa se utilizar de artimanhas sexuais para manipular os homens, antes, O Espírito Santo que nela habita a conduzirá a agir como uma motivadora convicta de que quem transforma as situações e as pessoas de forma verdadeira e honesta é somente o próprio Deus.

“Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação.” I Tessalonissenses 4:3-7

Um abraço de uma mulher que deseja usar as armas certas e atrair e influenciar as pessoas por refletir brilho de Cristo,
Renata Veras

You Might Also Like

7 comentários

  1. Oi Keylla! Essa é aquela beleza que não perece...

    ResponderExcluir
  2. A sabedoria está mto acima da sensualidade. O feeling no relacionamento Cristão, não tem forma e nem aparência. Pq o amor verdadeiro num relacionamento saudável, é o proprio amor de Deus que os uniu...

    ResponderExcluir
  3. Lembrei de Abigail. Davi foi atraído por sua sabedoria. Após a morte de seu esposo, ele casou com ela!!

    ResponderExcluir
  4. Lembrei de quando Davi achou Abigail atraente por sua sabedoria. Após ela ficar viúva, ele não perdeu tempo e casou com ela!! Hauhau

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha
      Isso mesmo, Thamyris!
      Abraço carinhoso,
      Renata Veras

      Excluir
  5. Olá Renata, amei a sua publicação.
    O texto é de sua autoria?
    Gostaria de usá-lo num sermão na igreja, citando a fonte.Obrigada!

    ResponderExcluir

Popular Posts