Mulheres que falam demais - bons motivos pra começar a domar a língua! Parte 1



A nossa boca é um dos mais comuns instrumentos de pecado e dano. Aprender a controlar as nossas palavras é requisito indispensável para vivermos com sabedoria. As Escrituras dão imenso valor à língua quando se trata da caminhada rumo à santificação, à maturidade espiritual.

O fato é que erramos quase todas as vezes que abrimos a nossa boca. E isso é especialmente verdade quando se trata de nós mulheres, conhecidas como as que mais gostam de falar.

A luta para controlar nossas palavras não é nada fácil, é uma luta ferrenha que cada uma de nós deve enfrentar se desejamos ser cada vez mais sábias. Controlar nossas palavras é uma luta árdua e por isso mesmo deve ser encarada com seriedade, como uma batalha a ser travada diariamente. Uma luta difícil, mas necessária e que traz grandes recompensas para a vida.

O livro de Tiago nos fornece duas ilustrações que nos mostram a dificuldade de controlar a língua e o perigo que o mal uso dela é capaz de gerar.

Língua como fogo:
Fogo queima arde, se alastra com facilidade, destrói. Depois de iniciado é extremamente difícil de conter.

“Vejam como um grande bosque é incendiado por uma simples fagulha. Assim também, a língua é um fogo; (...) incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno.” Tiago 3:5,6

Uma simples palavra pode causar um verdadeiro incêndio na vida de outros. Um palavra maliciosa, mentirosa ou mal intencionada, descuidada ou indevida pode lançar uma faísca da desconfiança, e é capaz de destruir uma reputação, contaminar pensamentos, criar confusões, dividir amigos, arruinar planos, sonhos e projetos, contaminar o mundo.

Depois de lançadas, as palavras começam a causar estragos e muito dificilmente conseguiremos conter esse ‘incêndio’. Por isso a necessidade de tomarmos todo cuidado para que essa faísca não seja lançada e que o estrago nem ao menos comece.

Língua como cobra:
A cobra é um animal audaz, ágil, difícil de ser domado, difícil de controlar ou de capturar após ter sido solta. A cobra é sorrateira, astuciosa, venenosa e igualmente mortífera. As Escrituras falam que a nossa língua é como ela:

“é um mal incontrolável, cheio de veneno mortífero.” Tiago 3:8

Da mesma sorte nossas palavras, se não domadas e bem controladas podem fugir de nossas bocas espalhando veneno e dor, e uma vez soltas o estrago será feito e dificilmente as tomaremos de volta.

Trazer a mente essas ilustrações pode nos ajudar a pensar melhor antes de falar. É de se assustar, mas a luta é tão difícil que a Palavra de Deus nos diz que nunca ninguém foi capaz de domá-la completamente.

“a língua, porém, ninguém consegue domar” Tiago 3:8 Ninguém, a não ser o próprio Jesus foi perfeito em seu falar.

Isso não deve nos desanimar nem nos fazer desistir da luta e nem muito menos servir de desculpa e nos eximir de nossa responsabilidade.

Nosso modelo, nossa referência e nosso alvo é sempre Cristo e Ele espera que sejamos seus imitadores. Assim como a santificação e a maturidade, a capacidade de controlar as palavras é um processo de uma vida toda, enquanto somos conformados com Cristo dia-a-dia, até o dia em que seremos transformados e libertos de toda natureza pecaminosa.

"Põe, ó Senhor, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios." Salmos 141:3

Um abraço, Renata Veras.

Clique nos links para ir direto aos outros textos da série Palavras:

Você não sabe do que sua boca é capaz!

Mulheres que falam demais - Bons motivos para domar a língua parte 2

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts