Tem cuidado de ti mesma! Um conselho para quem vai casar – ou já casou.


Gostaria de parafrasear as palavras de Paulo ao jovem Timóteo e fazer delas minhas palavras para cada uma de nós mulheres, sejam aquelas que se preparam para entrar em um casamento, sejam aquelas que já estão em um. Permitam-me quebrar as regras de uma boa interpretação e retirar completamente esta fase do contexto. Creio que tenho essa permissão uma vez que não me proponho a fazer uma exposição da passagem em questão, mas tão somente usar essa frase tão conhecida como mote para outros conselhos bíblicos que gostaria de salientar (tanto que nem ao menos colocarei a referência deste aqui).

Parafraseei estas palavras pela primeira vez em um chá de lingerie para o qual fui convidada a trazer alguns conselhos da Palavra de Deus para a noiva. Acredito que desapontei algumas ouvintes quando escolhi não falar especificamente sobre as questões da intimidade entre homem e mulher da perspectiva bíblica como de costume. Julguei que havia um conselho naquela ocasião que, em meu coração, soou muito mais importante que qualquer outro: ‘Tem cuidado de ti mesma!’

Tem cuidado de tua vida espiritual, de teu relacionamento e de tua intimidade com Deus. Nosso sucesso no casamento, a capacidade de lidar com as possíveis dificuldades na área do relacionamento íntimo, a vitória na nossa luta com a submissão ou o crescimento na nossa caminhada cristã estão intimamente relacionadas com a forma como cuidamos da nossa vida espiritual.

Falar sobre isso pode parecer por demais óbvio, mas existe uma questão da vida espiritual da mulher quando esta entra em um casamento que precisa ser discutido.

Quando nos encontramos unidas ao nosso marido como uma só carne nosso marido se torna, de certa forma, nosso ‘líder espiritual’. Em qualquer aconselhamento pré-nupcial o homem é ensinado a cuidar e zelar pela espiritualidade do lar: fazer devocional com sua esposa, realizar e zelar pelo culto doméstico. Sem dúvida alguma esse cuidado do marido pela espiritualidade de sua esposa é por demais excelente. Ter um marido que ora e lê a bíblia com você e que lhe encoraja a ler a Bíblia e orar é uma grande benção! O problema é quando nós mulheres nos tornamos espiritualmente dependentes de nosso cônjuge em nosso relacionamento com Deus. Quando deixamos essa área da nossa vida aos cuidados de outro.

Isso se torna ainda mais problemático quando nosso cônjuge não assumiu o seu lugar de líder espiritual do lar (e sabemos que isso é mais comum do que idealizamos). Ou pior, quando ele mesmo não tem cuidado com zelo nem mesmo de seu próprio relacionamento com Deus (e sabemos que isso é mais comum do que admitimos).

E é por tudo isso que acredito que um dos conselhos mais importantes para a mulher que está a entrar em um casamento (ou outra qualquer) é ‘Tem cuidado de ti mesma!’. Nosso relacionamento com Deus é pessoal e intransferível. Cada uma dará contas de si mesmo a Deus.

“Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo. Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim,
E toda a língua confessará a Deus. De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.” Romanos 14:10-12

Se não tivermos um relacionamento íntimo e forte com nosso Deus dificilmente teremos um bom relacionamento conjugal.

Sem um relacionamento íntimo e forte com Deus dificilmente suportaremos nosso ‘casamento imperfeito’.

Entender a depravação total nos ajuda a tirar as lentes ‘cor-de-rosa’ com as quais costumamos ver o casamento. Não quero passar uma visão pessimista do casamento – ele é uma benção projetada por Deus para a nossa alegria e benefício. Mas creio ser profundamente prejudicial a visão ingênua que muitos cristãos insistem em promover a respeito do relacionamento entre marido e esposa que acaba por infligir sofrimento àqueles que, depois do casamento, se encontram em apuros.

O ensino bíblico nos ajuda a enxergar a realidade: nós somos pecadoras e nossos ‘príncipes’ também.

“Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.” Romanos 3:10

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.” Romanos 3:23,24

Através da obra de Cristo somos todos regenerados, mas só seremos completamente transformados quando Ele vier nos levar. Até lá, amargaremos, mais ou menos, os efeitos do pecado sobre nós e sobre os nossos relacionamentos.

É preciso abandonar a visão ilusória do ‘casamento perfeito’. Quando compreendemos que nosso marido não é perfeito e que nem tão pouco nós mesmas, compreendemos o quanto precisamos de Deus para enfrentar as dificuldades inerentes de um relacionamento entre dois pecadores com atitude de humildade e arrependimento. Sem um relacionamento íntimo com o nosso Deus também dificilmente venceremos o desânimo que certamente nos acometerá por conta de nossos pecados e limitações.

Sem um relacionamento íntimo e forte com Deus dificilmente amaremos sacrificialmente

Os sentimentos românticos, o frio na barriga, o desejo, as borboletas no estômago até têm o seu lugar no relacionamento, mas de forma alguma são o que sustenta o amor entre marido e mulher. Por mais que para você isso seja completamente impensável nesse momento de preparação para o casamento onde os sentimentos românticos estão aflorados, haverá momentos em que os sentimentos poderão ser outros. Como diz aquela famosa frase, não é o amor que sustenta o casamento, mas o casamento que sustenta o amor. Eu diria ainda mais: não é de amor romântico que sobrevive um casamento, mas de amor sacrificial.

“Amados, amemo-nos uns aos outros, pois o amor procede de Deus. Aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, visto que Deus assim nos amou, nós também devemos amar-nos uns aos outros.” 1 João 4:7-11

É preciso abandonar a visão ilusória do ‘amor romântico’ e compreender o tipo de amor sacrificial e comprometido que o Senhor espera de nós. Nossas emoções são flutuantes, muitas vezes relacionadas com o período do mês. Se deixamos o nosso amor à mercê de nossas emoções teremos garantia de problemas. Só seremos capazes de amar sacrificialmente e de ir contra nossas emoções se estivermos enraizadas, convictas e conscientes daquele que é a fonte e o exemplo do verdadeiro amor.

Sem um relacionamento íntimo e forte com Deus dificilmente conseguiremos fazer o bem ao nosso marido sem esperar nada em troca.

Um dos nossos maiores desafios como esposa é seguir o que diz em Provérbios 31:12

“Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida.” Provérbios 31:12

Fazer o bem TODOS OS DIAS ao meu marido é um desafio DIÁRIO. A dificuldade não é tanto evitar fazer mal a ele (isso é naturalmente mais fácil, uma vez que o amo), mas o desafio maior é vencer a apatia e a inatividade e intencionalmente procurar formas de fazer o bem a ele todo dia. Em uma cultura que nos ensinou que devemos sentar em nosso trono de princesa e apenas esperar que o nosso príncipe venha nos paparicar, é um desafio descer do trono e servir. Sem um relacionamento forte com o nosso Deus dificilmente conseguiremos ir contra a nossa tendência natural egoísta e conseguiremos fazer o bem e não o mal aos nossos maridos todos os dias (Pv 31:12) – sem esperar nada em troca!

Sem um relacionamento íntimo e forte com Deus dificilmente conseguiremos nos submeter ao nosso marido.

Um dos assuntos mais difíceis para a mulher é a submissão. Submeter não é algo fácil. Não mesmo! Por mais que eu escreva vez por outra sobre submissão, nunca subestimo as dificuldades que estão envolvidas no processo. É difícil se submeter porque lutamos com a nossa natureza carnal e porque nos submetemos a outra pessoa igualmente imperfeita. O nosso coração é duro e o do nosso cônjuge também.

Se o nosso foco não estiver ajustado na direção correta, a submissão será praticamente impossível! Por isso mesmo que quando as Escrituras falam sobre submissão elas nos chamam a atenção para a perspectiva correta de quem se submete. Quando nos submetemos não devemos olhar simplesmente para o nosso marido, mas devemos olhar para o nosso Deus.

“Mulheres, sujeitem-se a seus maridos, como convém a quem está no Senhor.” Colossenses 3:18

“Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens, sabendo que receberão do Senhor a recompensa da herança. É a Cristo, o Senhor, que vocês estão servindo.” Colossenses 3:23,24

O único caminho para enfrentar essa tendência natural de não aceitar uma liderança imperfeita (e toda liderança debaixo do sol é imperfeita) é ter um relacionamento íntimo e forte com o seu Deus, reconhecendo que toda liderança é por Ele instituída e que Ele cuida de nós.

Sem um relacionamento forte com o nosso Deus dificilmente conseguiremos ir contra a nossa tendência natural rebelde e dominadora. No final das contas a questão da submissão ao marido é, fundamentalmente, uma questão de submissão a Deus. Sem essa perspectiva em mente, o negócio não dá certo.

Conclusão

Acima de qualquer coisa, nosso compromisso matrimonial depende antes de tudo do nosso compromisso com o nosso Deus. É diante dele que firmamos um compromisso de lealdade, de fidelidade e de permanência.

Quando nos faltar qualquer motivo romântico, natural ou humano para permanecer firme no nosso compromisso – e esse dia pode chegar para você como já chegou para mim – permaneceremos firmes por causa do compromisso que fizemos diante de Deus. Porque estaremos segura em nosso relacionamento com Ele, porque confiaremos que Ele cuida de nós, porque descansaremos na certeza de que Ele tem nas mãos as rédeas da situação.

E é por isso que eu digo: cuide de ti mesma! Não terceirize seu relacionamento com o seu Deus. Não perca o privilégio de andar lado a lado com Ele. Cuide de sua vida espiritual, preze por uma vida de amizade íntima com Seu Deus. Leve todos os seus anseios aos pés de Cristo. Procure conhece-lo cada vez mais. Achegue-se a Ele e Ele se achegará a você.

“Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” Hebreus 4:16

“Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós.” Tiago 4:8

Aproveitando-me ainda da frase famosa, diria ainda mais: não é você que sustenta o seu casamento, mas é Cristo que o sustenta. Longe de Cristo, dificilmente você será bem-sucedida.

E resumindo num linguajar bem cearês: a rapadura do casamento é doce, mas não é mole não. Se você não estiver firmada, enraizada e intimamente relacionada com o seu Deus você não da conta do negócio.

"Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder." Efésios 6:10

Um abraço carinhoso,
Renata Veras.

You Might Also Like

13 comentários

  1. ''Tem cuidado de ti mesma''
    Essa frase foi muito bem aplicada, Renata! e é muito edificante ler um texto assim, equilibrado, que fala sobre a liderança espiritual e ao mesmo tempo sobre o cuidado para não terceirizarmos nossa vida espiritual!

    ''Em uma cultura que nos ensinou que devemos sentar em nosso trono de princesa e apenas esperar que o nosso príncipe venha nos paparicar, é um desafio descer do trono e servir''

    Que Deus nos ajude a irmos contra a cultura para buscarmos mais por um modelo de amor sacrificial ao invés apenas do amor romântico!

    Deus te abençoe! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Luana!
      Fico feliz com as suas palavras.
      Essa é também a minha oração, que o Senhor nos ajude e nos sustente nessa caminhada rumo à santificação, rumo à ficarmos mais semelhantes a Ele.
      Conto com você por aqui!
      Abraço grande,
      Renata Veras

      Excluir
  2. Muito Bom! Aguardo um dia quem sabe, ler um livro seu :)
    Deus te abençoe. Toda Gloria a Deus!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um livro? Não acho que seja para tanto! rsrsrs
      Agradeço demais as palavras encorajadoras. Seja sempre bem vinda por aqui.
      Deus nos abençoe.
      Abraço,
      Renata Veras

      Excluir
  3. Maravilhoso contexto Renata, fico muito feliz por "add" um blogger que edifica e ajuda no conhecimento da qual a mulher piedosa pode estar avançando no conhecimento que nos liberta dos modismos e reforça bem como inspira vocês a escreverem certas de que a glória é do nosso Senhor Jesus ! Recém casada, posso dizer que lendo você me senti maravilhada porque estou em busca de ser uma mulher piedosa conforme o Senhor nos confiou, ser essa mulher é dedicação diária. Tudo no casamento é construção. Todo dia tem o que fazer, todo dia tem algo especial para viver, aprender. E destaco a sua frase final ___Se você não estiver firmada, enraizada e intimamente relacionada com o seu Deus você não da conta do negócio.___ Graça e paz, voltarei outras vezes. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eva, que bom ouvir palavras tão encorajadoras.
      Sigamos juntas no nosso desejo de ser a cada dia mais semelhantes ao nosso Mestre Jesus Cristo.
      Fica por aqui sim, volta de vez enquando. Vai ser um prazer ouvir seus comentários e contar com a sua participação.
      Abraço grande,
      Renata Veras

      Excluir
  4. Eita, Jesus, texto desafiador, mas, ao mesmo tempo, maravilhoso. Que Deus continue sendo o autor de cada texto seu.

    ResponderExcluir
  5. Preciso vir aqui reconhecer, que nunca havia lido um texto tao real como esse... ele nos confronta, nos consola e nos encoraja! Gloria a Deus!

    ResponderExcluir
  6. Renata, muito obrigada pela palavra!
    Sou recém casada e passo, muitas vezes, por dilemas como esses que você apresentou. É muito difícil deixar Deus agir em nossas vidas, ainda mais quando se tem uma visão romântica das coisas. Não é fácil. Agradeço a Deus pela sua vida, pois você é usada por Ele a nos encorajar a sermos esposas mais dedicadas, a amarmos e sermos dependentes, principalmente de Deus, e dos nossos maridos, sem qualquer peso.
    Deus te abençoe!
    Maressa Oliveira

    ResponderExcluir
  7. Renata, muito obrigada pela palavra!
    Sou recém casada e passo, muitas vezes, por dilemas como esses que você apresentou. É muito difícil deixar Deus agir em nossas vidas, ainda mais quando se tem uma visão romântica das coisas. Não é fácil. Agradeço a Deus pela sua vida, pois você é usada por Ele a nos encorajar a sermos esposas mais dedicadas, a amarmos e sermos dependentes, principalmente de Deus, e dos nossos maridos, sem qualquer peso.
    Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  8. Raquel peres de medeiros.27 de julho de 2017 16:38

    Muito edificante Renata,que o Senhor Deus te use grandemente em suas mãos,sensacional,puro estudo bíblico,tenho me edificado muito com seus estudos.Glórias a Deus.

    ResponderExcluir
  9. Louvado seja Deus,por lhe usar Renata Veras em suas mãos, e assim nos edificar,tenho aprendido muito com seus estudos,e enviado a outras irmãs,este estudo é muito pertinente nos dias de hoje,e ao nosso redor casamento estão sendo desfeitos por não se submeter as ordenanças do Senhor,pois é Ele que sustenta nosso matrimônio.Ass.Raquel Peres,Manaus AM.

    ResponderExcluir
  10. bem eu concordo com a pessoa que mencionou o livro..acho que um livro seria um projeto maravilhoso! Vamos levar a Deus em oração, quem sabe Ele não direciona um resposta positiva, ou fará muito mais do que pensamos!? com livro ou sem livro obrigada pelo uso do seu tempo para nos abençoar. Estaremos orando por você e sua família.

    ResponderExcluir

Popular Posts