Confissões de uma recém-casada

Por Bruna Bugana

Novembro chegou e faz um ano que terminei minha corrida maluca de ajustes de vestido, doces, flores, cartões e convites. Foi uma longa jornada até subir ao altar e outra jornada maravilhosa se iniciou depois que, juntos, dissemos “sim” um para o outro. Mal posso acreditar que nosso primeiro aniversário de casamento se aproxima! Ao mesmo tempo em que os meses passaram voando, sinto que estamos juntos em matrimônio há muito mais tempo. Os aprendizados de recém-casada são aprendizados para o resto da vida. Por isso, selecionei as oito principais coisas que aprendi em um ano como esposa.

1. Casamento é uma benção!

Você já deve imaginar que casamento seja realmente uma benção, afinal, foi Deus quem inventou o casamento e foi Ele quem instituiu as regras deste pacto. Porém, é quando finalmente estamos dentro da aliança que compreendemos o mistério e júbilo de uma vida matrimonial.

Tenho amigas que antes eram descrentes e apenas moravam junto com seus companheiros. Hoje, elas afirmam categoricamente que, após se converterem junto aos seus esposos e se casarem perante Deus, aquilo que elas vivam antes nem chega aos pés do que elas vivem atualmente. Isso porque o Senhor abençoa e faz parte da união daqueles que o temem!

O marido é falho e a esposa também é falha, mas Deus jamais falhará. O cordão de três dobras é infinitamente mais valioso do que qualquer nó que possamos dar.

2. Adoração familiar é importante

Se tem uma coisa que eu aprendi é que a adoração familiar é importante. Se você está noiva ou pretende um dia se casar, comece a aprender sobre devocionais em família agora mesmo. Deus se agrada quando uma família O busca de todo coração e em conjunto. Isso não significa que você não deva orar sozinha ou estudar a Palavra individualmente. A sua adoração individual deve continuar, mas a adoração familiar deve igualmente acontecer. Um erro muito comum é pensarmos que devemos iniciar os cultos em família só quando tivermos filhos. As crianças precisam de instrução na Palavra sim, mas quem disse que os adultos não? O ser humano precisa buscar a Deus – esteja ele na infância, adolescência ou fase adulta.

Consigo ver uma enorme diferença entre os dias em que fomos disciplinados com nossas devocionais e os dias em que falhamos com nossa obrigação. Acredite! Isso pode mudar seu casamento!

3. As lutas não são mais fáceis

Quando eu era mais nova costumava pensar que a vida das mulheres casadas era fácil, pois elas não tinham que lidar com corações partidos ou com tentações sexuais. Que tolice! Se você vive uma fase de abstinência sexual, não deixe esse pensamento iludir você. Uma mulher casada não precisa evitar os toques do marido, mas ela pode ter outras lutas, como a submissão, a preguiça, os pecados da língua ou até mesmo a imoralidade sexual em outras esferas. Cada fase de nossa vida reserva para nós bênçãos específicas e lutas também!

4. Eu era a esposa perfeita até me casar

Na minha imaginação, quando eu me casasse eu não cometeria os erros que via nas outras esposas, sempre estaria disposta e feliz, sempre amaria os afazeres domésticos, seria bem disciplinada e claro, sempre estaria linda e bela para meu marido. Eu seria uma esposa perfeita diretamente dos comerciais dos anos 50. Então... eu me casei.

Não quero te desanimar com isso, apenas quero te dizer para não se desesperar quando não souber o que fazer quando voltar da sua lua de mel. É ok admitir que não somos perfeitas. Na verdade, é libertador! Somente quando vemos nossas falhas é que percebemos o quanto somos dependentes de Deus e o quanto Ele é gracioso.

Você pode sonhar! Sonhos são bons, mas expectativas irreais são ladras de alegria. Imaginar uma vida perfeita à lá Pinterest fará seu contentamento ir embora quando estiver diante das imperfeições da vida.

Quando for tentada a se sentir frustrada, lembre-se de que vivemos em um mundo caído, mas em Cristo temos a esperança da glória e isso é suficiente para acabar com qualquer expectativa de paraíso na Terra (Cl 1.27).

5. Minha família é mais valiosa do que eu pensei

Só depois de casada que percebi o valor de tudo aquilo que meus pais e avós fizeram por mim. Desde uma blusa passada ou um almoço pronto até os sacrifícios da maternidade e do trabalho exaustivo. Me arrependi das tantas vezes que não colaborei com o serviço doméstico ou dei uma resposta malcriada àqueles que travaram tantas lutas para fazer o melhor por mim.

O casamento trouxe à minha consciência o amor dos meus familiares. Me tornei mais paciente e grata. Sabe aquela história de “um dia você vai ser mãe e vai me entender” ou “no dia que você tiver sua casa, você vai me dar valor”? Pois é.…de certa forma ela está certa. Infelizmente só nos colocamos no lugar do outro quando, de fato, estamos no lugar do outro. Se você ainda não se casou, valorize as pessoas que moram com você. Se você já é casada, pense nas suas lutas e veja que seus pais passaram pelo mesmo que você ou por coisas piores. Agradeça a Deus por sua família e ame-os sempre mais.

6. A pressão do mundo pode te enlouquecer

Quando faltava um mês antes do meu casamento, eu comecei a perceber a pressão externa que me rodeava. As pessoas começaram a falar sobre como eu deveria viver, pelo menos, os meus três próximos anos como esposa. Cheguei a chorar de tanto que me diziam que minha vida acabaria se eu engravidasse logo após casar. O mundo não está pronto para os planos de Deus. O mundo odeia os planos de Deus. Logo, o casamento, a maternidade, a domesticidade e tudo que envolve a vida cristã será alvo de críticas e aversão por parte de muitas pessoas. Esteja pronta para isso! Firme-se no Senhor, tendo a certeza das palavras de Jesus: “no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (João 16:33b)

7. A importância da ajuda de outras mulheres

Seja sua mãe, sua irmã, sua avó, sua amiga ou até mesmo uma irmã em Cristo mais experiente, tenha a certeza: você vai precisar de uma mulher! As Escrituras dizem em Tito 2:3 que as mulheres mais velhas devem aconselhar as mais jovens a serem “prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos; a serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada.”

Quando nos casamos muitas dúvidas aparecem e precisamos recorrer a uma mulher mais experiente. Seja para aprender a desossar um frango ou aprender um plano de oração, Deus usa mulheres mais velhas e mais sábias para nos moldar à imagem de Seu Filho.

8. Estar apaixonada é bom, amar é melhor ainda!

Quem não gosta daquele frio na barriga ou dos encontros românticos à luz de velas? Tem coisa melhor do que aquela fase de casal apaixonado? SIM! TEM!

Quando nos apaixonamos não conhecemos todos os defeitos daquela pessoa a quem podíamos jurar amor eterno. Também não sabemos o que é vê-la vomitando tarde da noite e ter que pernoitar no hospital ou ter que abrir mão de programas que tanto amamos porque o outro não se sente bem. O amor é sacrificial. Aprendemos a amar verdadeiramente quando não recebemos nada em troca e o casamento é o contexto em que isso acontece.

Edith Schaeffer diz em seu livro “Celebração do Matrimônio” que “o amor não é apenas a felicidade em situações ideais, quando tudo ocorre conforme os sonhos no convívio conjugal. O amor tem que ir à luta! O amor precisa de imaginação e de equilíbrio para colocar as coisas mais importantes em primeiro lugar”.

É claro que devemos nos esforçar para que sempre haja romance dentro do matrimônio. Nosso marido é nossa prioridade e isso significa que devemos separar tempo para nos dedicar a ele. Apenas não acredite que a dedicação ao casamento se resume apenas a restaurantes caros e presentes maravilhosos.

Quando aprendemos a amar, espelhamos no nosso casamento o amor de Cristo para com Sua igreja. Não há nada mais lindo que isso! Não há cartões, flores ou viagens que arranquem mais suspiros do que o amor de Deus operando em nós!


Se você é noiva e está próxima de se casar, ore ao Senhor pedindo auxílio antes e depois de chegar ao altar. Se você estiver certa de que seu noivo é um cristão temente a Deus e comprometido com o cumprimento da Palavra, tenha certeza que o casamento será desafiador e absolutamente maravilhoso. Se você já é casada, agradeça a Deus por te dar o privilégio de se santificar dentro do matrimônio. Peça a Ele que te dê direções para melhorar e investir nessa aliança. Se você é solteira e pretende se casar ou se aconselha alguma amiga acerca do casamento, lembre-se de que a Palavra de Deus é a bússola para um casamento feliz e ela afirma que o objetivo do matrimônio é glorificar a Deus. Qualquer outra intenção para o casamento que não seja honrar ao Senhor em cada detalhe, não será algo bom para sua vida.

Agradeço a Deus por ter me casado com um homem tão temente, bondoso e amoroso. Espero que o Senhor me conceda muitos anos ao lado dele e que juntos possamos refletir a Luz de Cristo em um mundo tão avesso. Meu desejo é esposas cristãs despertem para uma vida excelente de submissão, amor e alegria.

Que o casamento bíblico seja a marca das famílias cristãs até que celebremos as Bodas do Cordeiro!
Bruna Bugana.

You Might Also Like

1 comentários

  1. Como é bom ler algo tão real, sobre o casamento, sobre relacionamento, sobre as dificuldades vencidas por meio de Cristo! Deus abençoe a sua comunhão na Trindade todos os dias. Graça e paz.

    ResponderExcluir

Popular Posts