Mais que cultura do estupro, é 'cultura' do pecado.


Eis as perguntas mais repetidas nos últimos dias. Que mundo é esse? Que tipo de gente é essa?
E as respostas são simples. Este é o mundo completamente destruído pelo pecado e que jaz no Maligno. Estas são as pessoas totalmente depravadas pelo pecado, escravas de suas próprias concupiscências. Sim, todos os seres humanos (homem ou mulher) são bombas em potencial.

O abuso sexual de uma mulher é uma das expressões mais cruas da desordem do plano original de Deus para o mundo, para o homem e para a mulher. A expressão mais mesquinha do pecado masculino, quando este fere a dignidade de seu par, seu correspondente, seu igual, seu complemento ontológico, reduzindo-o a qualquer coisa menos que um ser humano, que assim como ele, foi feito à imagem e semelhança de Deus e com quem compartilha a maior experiência de solidariedade ontológica da raça.

O abuso sexual de mulheres é um fato. E assim como eu, muitas de nós já fomos vítima dele. Não há quem negue que ele exista. Não nego que há um problema. Pelo contrário, afirmo que há um problema e ele é mais sério do que se costuma considerar. Longe de ignorar o problema, lanço diariamente luz sobre ele e sobre a única solução existente para ele.

Não discordo de muitas das questões levantadas pelo feminismo. Não se pode negar que historicamente as mulheres têm sido mal compreendidas e maltratadas (a própria Bíblia nos mostra isso já nos primeiros capítulos do livro de Gênesis). Não se pode concordar é com a explicação (razão) e a solução por eles apontadas. As desigualdades não estão enraizadas simplesmente na cultura, na educação, em um discurso religioso ou num projeto misógino do Criador. As desigualdades têm sua origem no pecado que transformou as diferenças intencionalmente projetadas para um fim necessário e harmonioso em combustível para uma guerra sangrenta – a guerra entre os sexos.

A solução para as questões da mulher não está na anulação das diferenças, mas no tratamento das causas das desigualdades. E sendo o pecado a causa das desigualdades, o único tratamento eficaz é a redenção de homens e mulheres através da obra salvífica de Jesus Cristo. Apenas no reencontro com o Criador e na busca pelo plano original seremos capazes de, com a ajuda do Espírito Santo, vencer as tendências pecaminosas, sejamos nós homens ou mulheres.

A solução não está em virar as costas para Deus e arrogar para si a capacidade de resolver o problema com as próprias forças. Não se vence o machismo com gritos ou palavras de ordem. Um problema enraizado em questões espirituais profundas só pode ser resolvido com medidas da mesma natureza. A solução está em correr para Cristo, em espírito de completa sujeição e dependência, rogando para que Ele nos liberte do pecado, nos regenere, nos transforme em novas criaturas, nos transforme a cada dia em homens e mulheres mais parecidos com aquilo que ele planejou para nós.

Que Deus tenha misericórdia e derrame sobre nós a sua graça,
Renata Veras

You Might Also Like

2 comentários

Popular Posts