MULHERES EM APUROS POR FALTA DE UMA BOA TEOLOGIA


* Material foi apresentado em forma de palestra e reduzido e adaptado para o blog.
** Essa é a parte 2. Para a parte 1 clique aqui (MULHERES EM APUROS POR CAUSA DO FEMINISMO – Como Muitas De Nós Temos Sido Influenciadas Pelo Feminismo e Nem Ao Menos Percebemos)

Vimos no post anterior que as mulheres se encontram em apuros por causa da influência forte de filosofias humanistas e feministas.

O propósito desse texto é mostrar que, antes de mais nada, as mulheres estão em apuros por falta de uma boa teologia, de conhecimento puro, genuíno e profundo das verdades divinas. De forma resumida, passaremos pelos princípios fundamentais das Escrituras que nos dizem o que significa ser mulher, qual o nosso valor, papel e lugar no mundo de acordo com o plano de Deus. Pretendo, por fim, delinear os princípios básicos e fundamentais para uma teologia bíblica da feminilidade sadia.

Vimos na noite passada que infelizmente fomos expostas de forma tão intensa a filosofias humanistas (no caso feministas) que nem percebemos que muito de nossas crenças e convicções estão moldada por elas.

Porque nossa mente é tão facilmente e tão fortemente influenciada e moldada pelos pensamentos do mundo?

Quero comentar sobre pelo menos duas razões:

1.Porque conhecemos e meditamos pouco sobre as verdades das Escrituras.

Temos pouco ou nenhum entendimento sobre os fundamentos verdadeiros e os princípios mais básicos da nossa feminilidade e por isso nos tornamos vulneráveis.O que acontece é que muitas vezes recorremos à Bíblia a busca de respostas práticas para os problemas práticos do nosso dia-a-dia (e isso é ótimo), mas nos falta a base, o fundamento. Nos faltam as respostas para as perguntas mais fundamentais como ‘O que é ser mulher?’ ‘Qual o meu papel e o meu propósito nesse mundo?’

Muitas mulheres têm uma visão equivocada do seu Deus e de si mesmas que estão enraizadas em uma teologia fraca, deficiente. Uma famosa frase de John Piper diz acertadamente que ‘Teologia fraca produz mulheres fracas’. Acreditamos que os planos de Deus são restritivos. Que o valor e o papel da mulher no cristianismo é subutilizado. Achamos que seguir o que a Bíblia diz sobre a feminilidade impede o pleno desenvolvimento da mulher.

A verdade é que as Escrituras têm um plano e espera da mulher muito mais do que muitas de nós hoje tem feito hoje.

Por não conhecer a Deus e ter uma teologia fraca, muitas mulheres trocam os desígnios de Deus por algo que acreditam ser melhor. Ou simplesmente fazem uma misturada louca, um verdadeiro sincretismo que dilui e despreza a verdade de Deus. Quando faltam respostas sólidas das Escrituras, abraçamos as únicas respostas disponíveis. Quando achamos que a Bíblia não nos diz nada sobre o assunto, achamos que estamos livres para escolher as respostas que mais nos agradam.

2.Achamos que não somos capazes ou responsáveis por refletir sobre nossa fé -

Também não conhecemos e não meditamos nas verdades das Escrituras porque achamos que não somos capazes ou responsáveis por refletir sobre a nossa fé. Essa é a segunda razão para sermos tão facilmente influenciadas.

Teologia é o conhecimento sistemático, organizado e aplicado das verdades sobre Deus, sua criação e seus planos.

Achamos que teologia não é para o cristão comum ou para mulheres – teologia é responsabilidade de pastores e líderes. Ou ainda, achamos que não somos capazes ou responsáveis por pensar teologicamente. Infelizmente a realidade é que muitas de nós acredita que não precisa refletir sobre o que crê e que outros tem a responsabilidade de pensar teologicamente por nós.

Contra esse ideia equivocada, temos o ensino de Jesus retirado da forma como Ele se relacionou com duas mulheres notáveis, Marta e Maria, registrado em Lucas 10:38. Jesus nos dá 4 lições sobre a relação da mulher com o conhecimento de Deus: 4P’s POSSIBILIDADE, POSTURA, PRIORIDADE E PROFUNDIDADE. Toda mulher deve saber que ela é capacitada, convidada e exigida a pensar teologicamente.

Precisamos de uma boa teologia bíblica da feminilidade – o que Deus diz sobre mim, sobre o meu papel e valor no mundo? Somente uma boa teologia, um estudo profundo e dedicado das Escrituras é capaz de nos fazer enxergar com clareza quem somos, para quê fomo criadas e, assim, nos fazer viver de maneira plena, de acordo com tudo o que o nosso Criador planejou para nós.

Uma boa Teologia:

- nos ajuda a entender definitivamente quem somos e pra quê fomos criadas
- nos ajuda a vencer nossas ideias erradas (extremos)
- nos ajudar a ter firmeza nas nossas convicções
- nos ajuda a saber como responder a quem pedir razão da sua fé
- nos torna capazes de tomar decisões melhores
- nos ajuda a crescer como cristãs

Quanto mais conhecermos a Deus mais vamos confiar nEle, obedecê-lo, louvá-lo e amá-lo.


O QUE DEUS NOS DIZ SOBRE O QUE SIGNIFICA SER MULHER, SOBRE O SEU PAPEL, VALOR E LUGAR NO MUNDO?


Sendo o autor da criação, Deus é o único que tem autoridade e direito de definir e estabelecer o funcionamento e as regras para a vida individual e para as relações segundo o seu plano soberano e bondoso. E o que Deus diz sobre o lugar da mulher? O que Deus requer da mulher?

Entender o verdadeiro lugar da mulher no mundo passa pelo entendimento das intenções do Criador ao projetá-la segundo revelado nas Escrituras Sagradas. Ao tratar do lugar da mulher, opiniões, preferências e gostos pessoais são completamente irrelevantes. O importante é o plano e a vontade de Deus estabelecidos no momento da criação. (Apresento agora um resumo de um trabalho maior sobre a gênese feminina)

E o Criador diz de nós? Não temos tanto tempo para tratar de cada pormenor dessa questão que não é tão simples, mas gostaria de oferecer uma breve definição de feminilidade segundo as escrituras e falar um pouco sobre cada um dos pontos mais básicos.

O QUE É A MULHER?

Salientando as limitações de qualquer definição, proponho que a mulher é:

“Uma criação boa e distinta/especial de Deus feita à sua imagem e semelhança, igual ao homem em dignidade e valor e diferente em funções e ordem em contextos específicos, criada para atuar no mundo em parceria complementar indispensável com o homem e sob a sua liderança visando a glória de Deus”

Gostaria de discorrer brevemente sobre cada um dos pontos envolvidos nessa definição. Alguns pontos parecem óbvios, mas os preconceitos dos de fora e a falta de entendimento dos de dentro faz com que seja necessário voltar às questões mais básicas. Muitas vezes, como dito, os cristãos e a Bíblia são acusados de sustentar uma visão mesquinha da mulher e nada pode estar mais distante da realidade.

A primeira parte da definição diz que a mulher é

UMA CRIAÇÃO BOA E DISTINTA DE DEUS (Gn 1:31)

Dizer que a mulher é uma criação boa e distinta de Deus significa dizer que Deus criou a mulher de forma intencional, proposital, não por acaso, não foi um deslize, um equívoco. Ao criar a mulher, Deus tinha em mente planos bons e propósito bons claros. A mulher não é algo ruim, inferior, não é uma maldição para o homem e nem muito menos um castigo. A mulher é obra das próprias mãos de Deus e tudo que Deus faz é bom – MUITO BOM. A criação da mulher está incluída no ‘muito bom’ da obra de Deus. A mulher é uma benção moldada pelas mãos de Deus. A reação de Adão ao receber esse presente maravilhoso de Deus aponta para esse fato (Veja a primeira poesia romântica da humanidade em Gn 2:23).

O entendimento correto da gênese feminina exclui qualquer entendimento equivocado de que a mulher foi criada de forma inferior, defeituosa, desprezível, com capacidades limitadas.

A segunda parte da definição diz que a mulher foi

FEITA À SUA IMAGEM E SEMELHANÇA, IGUAL EM DIGNIDADE E VALOR (Gênesis 1:27)

Ambos, homem e mulher são criados igualmente à imagem de Deus. A imagem de Deus é o que nos faz humanos, diferentes do restante da criação. É o que nos confere dignidade e valor. A imagem de Deus na mulher garante a ela os ‘direitos humanos’ e a desaprovação cabal do Criador contra qualquer tipo de abuso, maus tratos, violência, morte ou privação de direitos

Por mais difícil que seja determinar o que significa plenamente ser feita à imagem de Deus, podemos dizer que isso significa tudo aquilo que nos distingue do restante da criação, mas que é próprio do Criador e é comunicado por Ele a nós.

Dizer que a mulher foi igualmente criada à imagem de Deus significa dizer também que ela foi criada com inteligência, criatividade, capacidade para se relacionar. Ao criar a mulher à sua imagem e dotá-la de incrível intelecto, criatividade e capacidade, Deus faz isso com intenção clara. Deus não daria tais capacidades à mulher para que fossem ignoradas, sufocadas, desprezadas ou subutilizadas. Deus deseja que a mulher use toda a capacidade dada por Ele para a sua glória.

A terceira parte da definição (a mais atacada pelas filosofias humanistas) diz que a mulher é

DIFERENTE EM FUNÇÕES E ORDEM EM CONTEXTOS ESPECÍFICOS

Existem diferenças fundamentais enraizadas na forma e no propósito criativos do nosso Deus para a Mulher

•A MULHER É UMA CRIAÇÃO DIFERENTE (Gn 2:21,22)

Ela é fruto de um ato criativo diferente. A mulher é uma criação distinta com características e potencialidades especiais. Deus cria a mulher fisicamente diferente, diferenças que são profundas e inegavelmente se refletem em sua forma de ser – hormônios, ciclos reprodutivos, etc.

Ela também é criada com funções biológicas diferentes e entre essas se destaca a maternidade.

Assim como não foi sem intenção que Deus deu capacidades, talentos e dons à mulher, não foi à toa que Ele a criou com o potencial sobremodo maravilhoso para a maternidade.

Dentro do propósito e do lugar da mulher no mundo destaca-se a missão materna da mulher. Embora essa não seja a única missão da mulher, ela assume um caráter prioritário para aquelas a quem Deus a concedeu.

Como vimos anteriormente, a maternidade está sob ataque. É uma grande tolice desprezar a importância dessa missão ou coloca-la em um status inferior a qualquer outra. Uma das maiores contribuição de uma mulher para a sociedade pode estar no cuidado intencional e zeloso do núcleo mais básico da sociedade, a família. A missão maravilhosa da maternidade carrega um peso social elevadíssimo dentro do mandato cultural e missiológico da mulher e, embora não seja a única missão feminina, tem caráter prioritário para aquelas a quem Deus a concedeu.

Aquelas a quem Deus concede a missão da maternidade e lhes entrega pequenas vidas sob seus cuidados não devem duvidar de sua prioridade. Essa missão deve ser realizada com todo o zelo e cuidado, reconhecendo sua importância e valor.

(Isso significa que para ser verdadeiramente mulher todas as mulheres são obrigadas a serem mães? Absolutamente não. Vivemos numa realidade afetada pelo pecado. Algumas mulheres simplesmente não conseguem ser mães. Outras não recebem de Deus a oportunidade de casar. Outras escolhem permanecer solteiras com o objetivo claro de servir e glorificar a Deus. A questão fundamental é a motivação, a forma como vemos a maternidade. Porque não queremos ou não somos mães. Porque desprezamos essa missão maravilhosa projetada por Deus? Porque não queremos nada que atrapalhe nossa realização pessoal?)


Além das diferenças físicas, biológicas, orgânicas, existem outras características distintivas da feminilidade que estão intimamente relacionadas com a forma como o Criador planejou e criou a mulher e que apontam para funções específicas e para uma ordem estabelecida por Deus no relacionamento entre homem e mulher.

•MULHER é criada por Deus com UMA FUNÇÃO ESPECÍFICA (Gn 2:18)

Existem implicações da forma como Deus criou a mulher que, embora não estejam claras na narrativa de Gênesis, são clareadas e explicadas pelo apóstolo Paulo no Novo Testamento e que apontam para funções e ordem específicas em contextos específicos.

Por mais difícil que seja para você engolir, a mulher foi criada DO HOMEM E PARA O HOMEM (I Co 11). Ela foi criada para ser ajudadora, auxiliadora, parceira e é colocada sob a liderança masculina – o homem é o cabeça (I Co 11).

Esse é um dos ponto mais difíceis de aceitar por causa do mal entendimento do projeto do Criador. A mulher não é criada como apêndice, não é dispensável, mas é necessária (2:18). Como vimos anteriormente, isso fica claro a partir do suspiro de gratidão e reconhecimento de Adão (2:23).

A mulher não é inferior e isso fica claro através do princípio da cooperação e interdependência determinado por 1 Co 11:11,12. A mulher tem uma missão em parceria indispensável com o homem. Deus estabeleceu uma organização econômica, funcional, uma parceria organizada em uma equipe complementar regida pela mutualidade. Alguém tem que liderar, e o Senhor escolheu que fosse o homem. Essa ordem se manifesta de forma clara e específica no lar e na igreja.

A quarta e última parte da definição trata da nossa função e lugar nesse mundo, dentro do plano de Deus e diz que a Mulher foi

CRIADA PARA ATUAR NO MUNDO EM PARCERIA COMPLEMENTAR INDISPENSÁVEL COM O HOMEM PARA A GLÓRIA DE DEUS (Gênesis 1:28)

Em Gênesis 2:26-28 vemos que ambos, tanto o homem quanto a mulher, recebem o que chamamos de ‘Mandato Cultural’. O Mandato cultural é a tarefa dada por Deus ao homem e à mulher de cuidar e abençoar a terra. Ambos, homem e mulher, são co-regente, co-administradores. Ambos tem a missão v.26,28 de espelhar e espalhar a glória de Deus.

Não apenas o homem, mas a mulher também recebe o dever e a responsabilidade cultural de usar as capacidades dadas por Deus para agir para o bem do universo criado e da família em parceria complementar indispensável sob o cuidado da liderança masculina para a glória de Deus.

Resumindo...


Ser feminina é, então, viver de acordo com o projeto e os desígnios divinos para a mulher.


Em outras palavras, honrar sua natureza feminina e o seu Criador é desenvolver da melhor maneira possível todo o potencial (criativo, artístico, intelectual, físico, social, espiritual etc) projetado por Deus. E fazer isso em parceria complementar harmoniosa e necessária (contrário de competição) com o homem tendo como alvo principal a glória de Deus.

A mulher tem a responsabilidade de desenvolver suas capacidades e usá-las para abençoar o mundo, a sociedade, as pessoas e também a igreja de maneira que glorifique o Criador. Cada mulher, de acordo com as capacidades dadas por Deus, tem uma missão específica e um modo especial de realizar essa missão.

IDEIAS ERRADAS SOBRE FEMINILIDADE

Como dito anteriormente, o cristianismo é acusado de ter uma visão baixa da mulher. Ser mulher não é sinônimo de ser incapaz, fútil, vaidosa ao extremo. Alguns condenam a visão judaico-cristã de tornar as mulheres frívolas, alienadas por atribuir a elas papéis específicos relacionados ao matrimônio, maternidade e domesticidade.

O ensino bíblico de feminilidade é que a mulher deve exercer seu mandato cultural através do pleno desenvolvimento de suas capacidades observando as prioridades para o bem da sociedade e para a glória de Deus. Com base no que vimos, feminilidade tem mais a ver com ser digna, capaz, ativa, necessária, respeitável, humilde, serva. As Escrituras estão recheadas de exemplo de mulheres fortes, determinadas, centradas nas Escrituras

Enxergar a mulher como criada com uma licença especial para a vida mansa é uma compreensão equivocada da criação da mulher. A mulher não foi mandada ao mundo à passeio.

TODA mulher DEVE trabalhar duro (seja em casa ou fora dela – onde Deus lhe colocar, observando os princípios de mordomia, prioridade e motivação). Deus não aceita a preguiça. Deve exercer o mandato cultural de Gênesis 2, deve pôr em ação seus talentos dados por Deus para o bem da humanidade e exercer seus dons concedidos pelo Espírito Santo para a edificação da igreja de Cristo.

E então, qual o lugar da mulher do mundo? Só dentro de casa? Só fora de casa?

LUGAR DE MULHER É ONDE DEUS DISSER!

Para encerrar, eu gostaria de falar sobre mais um princípio, mesmo fora da definição, que nos ajudam a saber qual o nosso lugar no mundo diante de tudo o que vimos sobre o que significa feminilidade. Eu creio que aqui é onde há mais confusão e falta de entendimento entre as mulheres que geralmente caem em extremos igualmente perigosos. Esperam respostas do tipo 'pode' ou 'não pode', do tipo 'tudo' ou 'nada'!

Mais do que oferecer respostas prontas, o lugar da mulher deve ser determinado observando os princípios de mordomia, prioridade e motivação.

Princípio de Discernir os tempos e aproveitar da melhor forma possível todas as oportunidades

Os princípios delineados acima (o princípio de igualdade, da imagem de Deus, de exercício de seus dons e capacidades, de cumprimento de seu mandato cultural) são absolutos, mas a aplicação deles pode significar diferentes coisas de acordo com o tempo e com as oportunidades de Deus para cada mulher em específico.

A melhor forma para entender o que Deus espera de cada mulher é entender que existem ‘tempos e tempos’ em sua vida. (Sabedoria de Salomão em Eclesiastes 3) e aplicar os princípios que vimos a cada um desses tempos.

Existe o tempo da juventude,
Existe o tempo da solteirice (que pode ser passageira ou permanente),
Existe o tempo do casamento sem filhos (pq eles ainda não vieram, pq nunca virão, ou pq já cresceram)
Existe o tempo do casamento com filhos pequenos

Sobre este último tempo (filhos pequenos) faço questão de frisar a prioridade e a sublimidade da missão da mulher dentro do lar. A mulher cumpre uma função social elevadíssima quando cuida da futura geração. Napoleão, quando foi perguntado sobre como recuperar prestígio da França disse: Dêem-nos melhores mães! (É claro que neste mundo caído muitas são as situações adversas que impedem verdadeiramente que muitas mães se dediquem integralmente ao filhos.)

O que podemos dizer com convicção é que cada mulher deve ser capaz de discernir os tempos específicos de sua vida e buscar desenvolver tudo aquilo que Deus lhe deu, observando suas prioridades (dando mais importância ao que é mais importante para Deus) e aproveitando da melhor forma as oportunidades que o Senhor lhe dá.

Deus deseja que cada mulher esteja em pleno desenvolvimento e exercício de suas potencialidades (dons, talentos, capacidades intelectuais), cumprindo seu mandato cultural de forma produtiva, atuante e relevante (seja no lar, na igreja, no mundo) para a glória de Deus discernindo os tempos e aproveitando todas as oportunidades.

Cada uma de nós haverá de prestar contas de como administramos tudo aquilo que Deus nos deu: capacidades, intelecto, família, dons, tempo e oportunidades.

O mais importante: todo o esforço, todos os planos e projetos devem ser submetidos ao Senhor, considerando Seu querer e Sua vontade, buscando glorificar e espalhar a Sua glória por onde passar - tudo deve ser feito por causa Dele, por meio Ele e para Ele.

CONCLUINDO

Os planos e a vontade de Deus para a mulher não são mesquinhos e limitadores (muito pelo contrário). A mulher que busca ser o que Deus planejou para ela ser e busca estar onde Ele designou que ela estivesse faz diferença no mundo e marca a sua geração. Ela estará sempre preparada para qualquer situação, mesmo as mais difícies. Não apenas porque cuida de usar bem tudo o que o Senhor lhe deu, mas, acima de tudo, porque tem a confiança de estar no centro da vontade de Deus, confiante em sua vontade soberana e debaixo do seu cuidado de amor.

Que honremos a nossa natureza feminina e glorifiquemos ao nosso Criador com tudo aquilo que Ele nos deu de acordo com os termos dEle. Sem sombra de dúvidas isso é o melhor para nós.

Efésios 4:13-14 - Deus deseja que “que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo. O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro.”

Um abraço carinhoso, Renata Veras

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts