Bibliologia para Mulheres.

Creio com veemência que a razão para confusão e fraqueza da mulher cristã a respeito de quem ela é de qual o seu papel no mundo vem de uma fraqueza de entendimento de questões teológicas básicas e fundamentais. Eu creio também que a base para a compreensão correta a respeito disso tudo repousa num tripé teológico simples de desenhar. 

 Embora toda a teologia seja fundamental, creio que a maioria de nós, mulheres cristãs, lutamos com relação a nossa identidade e função nesse mundo porque nossa bibliologia, nossa teologia propriamente dita e nossa antropologia é fraca ou equivocada. Esse é o tripé que considero fundamental. 

O primeiro dos pés, que considero o mais importante, apesar de crer que todos são igualmente necessários para a estrutura do conhecimento da causa não desmoronar, é a Bibliologia. Somos o povo do livro. Somos mulheres da Bíblia. 

Alguns hoje nos acusam de idolatria literária, de adorar o Livro acima do Autor. Muitas de nós aceitou a narrativa de que a Bíblia é a Palavra de Deus sem entender o porque disso. Talvez vc tenha carregado sua Bíblia por anos debaixo do braço e nunca tenha olhado para ela de maneira objetiva. Talvez vc nunca tenha se perguntado o porque de pautar a sua vida por um livro que pode não passar de apenas mais um livro. 

A fraqueza de nossa convicção a respeito da autoridade das Escrituras mina a nossa convicção a respeito do conteúdo da nossa fé que é inteiramente derivado delas. 

Como cristãos, cremos que a Bíblia é a revelação especial de Deus e o meio escolhido por Ele para que tivéssemos acesso à sua revelação. Cremos que Deus se revela através da natureza criada (revelação geral) e que o conhecimento natural possível é vasto, mas não completo e não suficiente para nos fazer entender pq estamos aqui e nos fazer chegar até Deus. O meio para o conhecimento de Deus, para o conhecimento da verdade a respeito do Criador, de nós mesmas e do mundo é as Escrituras. 

A questão da bibliologia é fundamental pq é uma questão epistemológica, uma questão de como é possível ter acesso ao conhecimento, como é possível ter acesso à verdade - sobre nós, sobre Deus, sobre o mundo. As Escrituras são o “portal” por meio do qual temos acesso ao conhecimento de realidades superiores reveladas por Deus. O registro sobrenatural de ações sobrenaturais de Deus na história. E o registro sobrenatural da mensagem divina para nós por meio da história. Como eu sei quem é Deus? Como eu sei o que Ele requer de mim? Como saber o que me aguarda no futuro, senão através da revelação dada pelo próprio Deus registrada das Escrituras? 

Para nós cristãs, o que define nossas crenças não são nossas experiências, nossas percepções do mundo ou nosso exercício intelectual, mas a revelação sobrenatural, as Escrituras. Ter clareza, lucidez e profundidade de conhecimento a respeito do que é a Bíblia é condição sine qua non para um entendimento e uma fé madura, esclarecida e racional. 

Se, como cristãs, nossas convicções a respeito da realidade, de Deus e de nós mesmas é derivada das Escrituras, essas mesmas convicções serão tão fortes quanto as nossas convicções a respeito da veracidade, confiabilidade e autoridade das Escrituras, da Palavra de Deus. 

Existem os mais variados tipos de pensamento em relação à Bíblia: 
(1)é um livro qualquer escrito por homens - péssimo e cruel, por sinal, 
(2)um livro como outro qualquer, escrito por homens, nem bom nem mal, só mais um livro 
(3) um bom livro, mas com erros como outro qualquer, que traz uma mensagem sobre Deus, 
(4) um bom livro que contém as palavras de Deus ou 
(5) a palavra de Deus. 

Como você vê a sua Bíblia? E porque vc crê assim? Vc estaria pronta para explicar isso a qualquer que pedisse razão da sua fé? Algumas perguntam podem surgir de uma mente que busca crer de todo o coração, de toda alma e de todo entendimento: Como posso saber que a Bíblia é a Palavra de Deus e não apenas mais um livro escrito por homens e atribuído à mente divina? Se a Bíblia é um compilado de livros diversos, feitos a milênios de distância um do outro, quem teria autoridade para escolher os que entrariam ou não? Não teria ficado algo de fora? Não teria algum entrado por engano? Foi Deus que decidiu isso? O que me garante que o que eu tenho hoje em mãos é uma versão fidedigna dos escritos originais e não uma cópia corrompida através dos tempos e traduções? Se a Bíblia é realmente a Palavra de Deus, qual a implicação de dizer que ela é a Palavra de Deus? Que tipo de autoridade ela tem sobre a minha vida? 

Como vc responderia a perguntas como essa? Fazer perguntas assim não deve ser uma ameaça à sua fé. Do contrário, deve ser um meio de exercita-la e fortalecê-la. Fortalecer sua bibliologia, suas convicções a respeito dO livro vai fortalecer sua fé de muitas maneiras. Vai fazer vc amar, buscar mais e desfrutar mais do tesouro inestimável que vc tem nas mãos. 

A Bíblia é nosso padrão objetivo. É nela que encontramos nossa certidão de nascimento, nosso atestado de paternidade, nossa carteira de identidade, nossa carta de alforria, nosso passaporte, nosso mapa, nosso manual de instruções de vida. E se não é nela, é em qualquer outra coisa. E se não é somente nela, não é nela de maneira alguma. 

De outra forma chegaremos a outras conclusões a respeito do pq existimos, de onde viemos, de quem somos. Permaneceremos cativas, sem ter pra onde ir, sem direção e sem ajuda para viver essa vida. Isso é o que acontece com as mulheres não cristãs que não conhecem a Bíblia e com a maioria (sem exagero) das mulheres cristãs que ‘conhecem’ a Bíblia, mas não a conhecem de verdade. 

Meu objetivo é tentar ajudar vc a responder essas perguntas a fim de que sua fé seja fortalecida através do entendimento do caráter, da importância e da autoridade da Palavra de Deus na sua vida. Vamos lá estudar teologia para a vida? 

Imagem: Photo by Priscilla Du Preez - Unsplash

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts