[MATERNIDADE SEM APUROS][RECURSOS] Mamãe também namora! Dicas para uma Movie Night.


Antes de qualquer coisa, para evitar mal entendidos, preciso esclarecer que nesse texto não vou tratar de mamães solteiras, separadas, viúvas, divorciadas, etc. Sabemos que existem muitas mamães nessas condições entre nós, mas eu creio que esse é um outro assunto que merece um espaço dedicado só a ele.

Minhas palavras se dirigem especialmente àquelas mamães de pequenos que, por conta da correria normal do cuidado de crianças novinhas, tem encontrado dificuldades em nutrir o relacionamento de intimidade e de amizade com seus maridos.

Para essas amigas queridas, eu tenho uma pergunta importante! Qual a última vez que você namorou com seu marido? E nem falo especificamente de namoro no sentido de intimidade física (sexo). Acredito que esse também é outro assunto que merece um espaço especial para conversarmos só sobre ele. Pergunto sobre a última vez que você separou um tempo para estar à sós com o seu marido, para fazer um programa só os dois, pra assistir um filme, tomar um sorvete, fazer uma caminhada no parque.

Muitas vezes o simples fato de termos casado já muda muita coisa na forma como nos relacionamos com o nosso marido. Às vezes (muitas vezes) esquecemos de manter (mesmo que de uma forma diferente) o cuidado e o zelo com momentos de intimidade e companheirismo. As obrigações, a rotina, as contas para pagar, os conflitos fazem com que aquela chama do namoro vá se apagando aos poucos.

Depois que os filhos chegam, então, o relacionamento entre marido e mulher tende a passar para um estágio precário de intimidade e romantismo.
Se antes dos filhos éramos nós que reclamávamos por mais momentos à sós com o maridão, depois dos filhos, muitas das vezes, nós somos as responsáveis pela falta de desejo e empenho por momentos desse tipo. Cansaço, muita coisa pra fazer, noites mal dormidas, falta de disposição nos fazem, ao final do dia, correr às léguas (de preferência em direção à cama) da palavra ‘namoro’.

O fato é que precisamos fazer um esforço (conjunto) pra cultivar momentos gostosos que fortaleçam a intimidade e a amizade com nosso cônjuge. Precisamos lembrar que além e acima de nossos papéis de mães/pais está nossos papéis de esposa/marido.

Joel Beeke, no livro “Amigos e Amantes” nos lembra desse duplo caráter do nosso relacionamento conjugal. Somos amigos e amantes de nossos maridos e devemos zelar por cada uma dessas facetas de nosso relacionamento.

Em Malaquias 2:14 diz “a esposa que tens desde a juventude” é “tua companheira e a mulher da tua aliança matrimonial”.

Mais do que um capricho, um detalhe ou algo que é irrelevante, cuidar do casamento e agir intencionalmente para cuidar da relação é obediência ao Deus que criou o casamento e espera que ele seja um canal para espalhar e espelhar a Sua glória.

O autor nos lembra que existem duas formas fundamentais para cultivar essa amizade e esse companheirismo: passando tempo juntos e conversando um com o outro.

Nesse texto, especificamente, quero chamar a sua atenção para o cuidado que devemos ter para cultivar os laços de companheirismo e amizade no nosso casamento.

Talvez o que menos nós temos tipo com nossos maridos tem sido justamente tempo juntos e conversa franca. A rotina é massacrante e passa em cima de nós como um rolo compressor se não estivermos atentas. Além da rotina podemos falar também das questões financeiras e das diferenças de personalidade.

Algo que para mim tem sido transformador (e não imagine que eu tenho poucos problemas nessa área) é olhar para a minha realidade como a realidade preparada por Deus para que eu cresça em santificação. Por muitos anos vivi em um verdadeiro campo de batalha, reclamando, murmurando e lutando contra a rotina, as condições financeiras e contra a personalidade do meu marido (que não é nada romântico).

É preciso, antes de mais nada, encher o nosso coração de contentamento e aprender a nos ajustar e a encontrar beleza na realidade que Deus preparou para que vivamos.

De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro, pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos. 1 Timóteo 6:6-8

É preciso nos adaptar à essa realidade e encontrar caminhos para nutrir nossos laços de amizade e intimidade com o nosso marido.
É preciso nos adaptar à realidade corrida do dia-a-dia
É preciso nos adaptar à realidade de ter filhos pequenos e não ter com quem deixa-los
É preciso nos adaptar à realidade de crise financeira e orçamento apertado.
É preciso nos adaptar à realidade da personalidade dos nossos maridos.

Esperar as condições perfeitas ou fantasiar demais momentos com seu marido podem ser fontes de frustração e conflitos sem fim. Tudo bem sonhar, planejar e orar a Deus por coisas especiais. Eu por exemplo, sonho em comemorar o meu aniversário de 15 anos de casamento, próximo ano, em Paris – o que muito provavelmente nem vai acontecer... O que não podemos é pautar a nossa felicidade ou condicionar os momentos com nossos maridos a coisas que estão fora da nossa realidade, fora daquilo que Deus tem para nós.

MOVIE NIGHT

Porque é preciso sair de casa e gastar dinheiro para ter momentos significativos à sós com nossos maridos? Precisamos confessar que temos nos tornado bem consumistas nesta área.

Deveríamos cultivar o prazer de estar em casa, no nosso cantinho, de preparar momentos possíveis!

Se a grana é curta, se não há quem fique com as crianças, porque não preparar um momento à sós em casa mesmo, depois de colocar os pequenos para dormir?

Junto com esse texto, lá no finalzinho, disponibilizo para vocês um arquivo com cartõezinhos especiais para você preparar uma noite especial de ‘cinema em casa’ com o marido. Como esse ano o dia dos namorados cai numa segunda (para tornar algo especial ainda mais difícil), pode ser uma excelente opção para comemoração. E como dia dos namorados para nós, casadas, é todo dia, vale a pena fazer sempre, quem sabe uma vez por mês. Que tal?

VALE NIGHT

Aqui, faço um parêntese para uma dica de utilidade pública. Jovens das nossas igrejas que amam crianças e procuram um ministério precioso para desenvolver, considerem diante do Senhor o serviço de cuidar das crianças daqueles casais que não tem com quem deixar os filhos para que esses possam ter algum momento especial à sós. Além que ususfruir das bênçãos do contato com as crianças, você abençoa enormemente os casais da sua igreja.

Soube de um ministério especial de uma igreja onde jovens organizam uma noite especial para ficar com as crianças para que os pais tenham a oportunidade de curtir um ao outro. Os pais pagam uma taxa simbólica que é revertida para missões. Maravilhoso, não?

Desafio você a orar por algo do tipo!

DICAS DE LIVROS

Além do livro acima citado, gostaria de indicar alguns outros livros sobre casamento que indico calorosamente. Sabemos que existem muitas publicações no mercado sobre o assunto, mas o diferencial destes que indico aqui é o fato de trazerem a verdade bíblica a respeito do sentido, significado e propósito do casamento. Aqueles livros mais práticos (muitas vezes cheios de psicologia comportamental) podem até ter seu valor, mas somente a exposição da Palavra de Deus entra fundo no nosso coração, nos mostra quem somos, nossos erros e nos ajuda nesse empreendimento nada fácil que é o casamento.

Amantes e Amigos. Como cultivar a amizade e a intimidade no casamento. Joel R. Beeke. Série cruciforme. Editora Vida Nova.

O que você esperava? Expectativas fictícias e a realidade do casamento. Paul David Tripp. Editora Cultura Cristã.

Casamento Temporário. Uma parábola de permanência. John Piper. Editora Cultura Cristã.

Quando pecadores dizem ‘sim’. Dave Harvey. Editora Fiel.

Um abraço carinhoso,
Renata Veras.

[RECURSO][DOWNLOAD]


Para fazer o download clique na imagem. Depois que ela abrir, clique com o botão direito e escolha a opção ‘salvar imagem como’.

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts